Notícias

Emplacamentos de veículos novos registram queda de 8,57% em fevereiro

Nas transações de veículos usados, no mesmo período, a queda foi de 13,39%
Números da Fenabrave indicam queda de 8,57% nos emplacamentos de veículos novos em fevereiro

Fenabrave mostra queda de 8,57% nos emplacamentos de veículos em fevereiro

De acordo com números anunciados pela Fenabrave – Federação Nacional da Distribuição de Veículos Automotores -, os emplacamentos de todos os segmentos automotivos, somados, (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros veículos), apresentaram queda de 8,57%, no mês de fevereiro, em relação ao primeiro mês do ano de 2017.

Ao todo, foram emplacadas 204.938 unidades no segundo mês de 2017, e 224.138 registradas no mês anterior. Na comparação dos acumulados de 2016 e 2017, o mercado automotivo retraiu 14,88%. Foram emplacadas 429.076 unidades nos dois primeiros meses deste ano, contra 504.067 no mesmo período de 2016. Ao comparar fevereiro deste ano com o mesmo mês do ano passado, a queda foi de 15,72%.

Conforme os dados apresentados pela entidade, os segmentos de automóveis e comerciais leves, somados, também apresentaram queda no acumulado do ano, com uma redução de 5,42% sobre o ano passado. Ao todo, foram emplacadas 275.966 unidades em 2017, contra 291.768 em 2016. No mês de fevereiro (132.405 unidades) houve queda de 7,77% para os segmentos, se comparados ao mês de janeiro (143.561 unidades). Com relação a fevereiro de 2016 (142.091 unidades), o resultado aponta uma baixa de 6,82%.

Para o presidente da Fenabrave, Alarico Assumpção Júnior, além dos dias úteis a menos em fevereiro, o resultado do mês ainda é efeito da sazonalidade de início de ano, onde as vendas, historicamente, são mais baixas. “Porém, já observamos uma melhora na média de vendas diárias, que cresceram 12,7% em fevereiro, chegando a 7.356 automóveis e comerciais leves emplacados todos os dias”, explicou, comentando que, se não fossem os quatro dias úteis a menos, o resultado de fevereiro seria diferente.

Segundo Assumpção Júnior, o mercado automotivo passará por um momento de retomada, mesmo que moderada, ao longo do ano, com a expectativa de maior crescimento a partir do segundo semestre. “Dificuldades como essas, agregadas ao baixo índice de confiança, fizeram com que as famílias e as empresas se retraíssem em relação ao consumo, retardando a tomada de decisão para a compra de veículos novos”, completou.

Com base nos estudos realizados pela Fenabrave, o setor como um todo deverá apresentar crescimento moderado em 2017, chegando a 3,11% para todos os segmentos somados. Para os segmentos de automóveis e comerciais leves, a expectativa é de alta de 2,04% sobre os resultados.

Já para caminhões e ônibus, a Fenabrave projeta crescimento de 3,15%, sendo 2,8% para caminhões, 4,40% para ônibus e 7,08% para implementos rodoviários. O segmento de motocicletas, que vem sofrendo sucessivas quedas desde a crise de 2008, deverá apresentar alta estimada em 4,04%. Para tratores e máquinas agrícolas, a previsão é chegar a um crescimento de 13,5% em 2017, reforçado pelos bons resultados do agronegócio no País.

                                                                                 Queda também nos usados

De acordo com levantamentos feitos pela Fenabrave, as transações de veículos usados, considerando todos os segmentos automotivos somados (automóveis, comerciais leves, caminhões, ônibus, motocicletas, implementos rodoviários e outros), apresentaram queda de 13,39% em fevereiro, na comparação com o mês anterior. Ao todo, foram transacionadas 942.939 unidades em fevereiro de 2017, contra 1.088.709 em janeiro.

Já na comparação com o mês de fevereiro/2016, o resultado geral de transações de usados apresentou alta de 0,30%, quando foram transferidas 940.161 unidades no período. Também no acumulado do bimestre, o mercado apresentou alta de 7,83% no comparativo com o mesmo período do ano passado. Ao todo, foram transacionadas 2.031.648 unidades em 2017.

Quando analisados apenas os segmentos de automóveis e comerciais leves, as transações apresentaram retração de 14,19% em fevereiro com relação a janeiro. Ao todo, foram negociadas 709.805 unidades no segundo mês deste ano, contra 827.178 em janeiro. Em relação a fevereiro/2016 (698.798 unidades), houve crescimento de 1,58% nas transações destes veículos.

Para  Alarico Assumpção Júnior  a queda nas transações de veículos usados em fevereiro sobre janeiro se deu pelos quatro dias úteis a menos no segundo mês do ano. “O mercado de veículos usados, assim como o de veículos seminovos, continua aquecido. Enquanto o mercado de novos retraiu 14,9% no acumulado, o de usados apresentou uma alta de 7,8% neste primeiro bimestre, fazendo com que o índice de correlação registre 4,6 usados transacionados para cada novo emplacado “, avaliou o presidente da Federação.

Assumpção Júnior justificou a continuidade deste movimento positivo. “O comprador leva em consideração as vantagens nos preços dos veículos usados mais equipados em relação ao preço dos veículos novos, ou seja, estes veículos usados já sofreram depreciação, tornando-se um item muito importante na tomada de decisão na hora da compra “, explicou o presidente da Federação. Do total de automóveis e comerciais leves transacionados, os usados (de 1 a 3 anos de fabricação) representaram 13,26% das negociações realizadas em fevereiro de 2017.

Foto: André Lessa/AE

Compartilhar:
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!