Notícias

Honda City 2018 muda visual, mas não traz controles de tração e estabilidade

Linha fica mais cara e traz também como novidade a nova versão Personal

O Honda City 2018 começa a ser comercializado e traz como novidade um visual renovado, com linhas mais discretas. O sedã, vendido com preços a partir de R$ 60.900, mudou a grade dianteira, os para-choques foram redesenhados e os faróis e lanternas receberam novas lentes. Na linha do novo City, a marca tirou a versão DX automática e integrou a nova Personal. Essa versão, também criada para o Fit, tem como foco o público PcD. Ela inclui caixa CVT, controlador de velocidade e bancos traseiros rebatíveis.

Uma coisa não mudou: o motor. Desta forma, o compacto mantém sob o capô o propulsor 1.5 de 116 cavalos de potência na linha 2018 e câmbio manual de 5 marchas na versão de entrada e a CVT nas demais versões.

O preço inicial de R$ 60.900 é para a versão de entrada DX 1.5 manual. É o mesmo praticado anteriormente. Na nova versão Personal CVT, o preço é de R$ 68.700. Em seguida vêm as versões que tiveram preços majorados. A LX 1.5 CVT custava R$ 69 mil e subiu para R$ 72.500, a EX CVT passou de R$ 75.700 para R$ 77.900 e a EXL CVT saltou de R$ 81.400 para R$ 83.400.

Novos itens de equipamentos passaram a integrar o City 2018, como luzes de rodagem diurna de LED (DRL) em todas as versões, enquanto a versão topo da linha, a EXL, passa a oferecer LED no conjunto de luzes baixa e alta. Nos itens de segurança, no entanto, a Honda ficou devendo no City controles de tração e estabilidade, o ESP. Pior: nem como opcional, mesmo nas versões mais caras.

Justificativa da Honda para a não introdução dos referidos itens no City, hoje já introduzidos no modelo Fit, é que existe uma estratégia da marca para a adoção dos itens em cada modelo. Com relação ao City, equipar o sedã com controles de tração e estabilidade não está nos planos ainda. O ESP já é equipamento que compõe o pacote de tecnologia da maioria dos carros na mesma faixa de preços do City.   

Nas versões EX e EXL, o City ganhou airbags laterais, ar-condicionado digital, controle de velocidade de cruzeiro e câmera de ré. Na EXL, ainda há central multimídia de 7 polegadas com conexões para Android Auto e Apple CarPlay, bancos de couro e airbags de cortina.

Todas as versões do City 2018 trazem de série ar-condicionado, vidros, travas e retrovisores elétricos, volante com regulagem de altura e profundidade e direção elétrica. O modelo da Honda se renova para enfrentar os rivais recém-lançado Volkswagen Virtus e o Cronos, novo sedã que será lançado pela Fiat ainda este mês.

Equipamentos

Em relação ao Virtus, o City fica em desvantagem em equipamentos, mas tem a vantagem de oferecer 6 arbags na versão topo EXL. Já para comparar o modelo da Honda com o Fiat Cronos, é preciso primeiro aguardar pela chegada do novo sedã ao mercado.

A versão DX (manual) traz de série Ar-condicionado, direção elétrica e trio elétrico, volante com regulagem de altura e profundidade, sistema de áudio com Bluetooth, rodas de liga leve de 15 polegadas. A Personal vem com Ar-condicionado, direção elétrica e trio elétrico, volante com regulagem de altura e profundidade.

A versão LX  adiciona tudo da DX e mais rodas de liga leve de 16 polegadas, roda de liga leve de 16 polegadas, faróis de neblina e as lanternas com guias de LED. A EX traz todos os itens das versões anteriores e mais airbags laterais, ar-condicionado digital, controle de cruzeiro e o sistema de áudio com tela de 5 polegadas, câmera de ré, borboletas atrás do volante

A EXL, por sua vez, reúne todos os itens da DX, LX e EX e ainda airbags de cortina, retrovisores elétricos com rebatimento automático, central multimídia de sete polegadas que traz navegador integrado e conectividade com o sistema Apple CarPlay e Android Auto e bancos de couro, borboletas atrás do volante.

Compartilhar:
Do NOT follow this link or you will be banned from the site!