AvaliaçõesNotícias

Torque Máximo avalia durante uma semana o Argo 1.8 na versão Precision

Modelo hatch da Fiat constitui-se numa alternativa atraente e prazerosa de dirigir

Fiat Argo 1.8 Precision (5)

O Fiat Argo chegou ao mercado em três opções de motores, três ofertas de transmissão e três configurações de acabamento – HGT, Drive e Precision – com a promessa de alavancar as vendas da marca, substituir sozinho o Punto, o Bravo e as versões mais completas do Palio e, ao mesmo tempo, desbancar o Chevrolet Onix e o Hyundai HB20, os dois hatches mais vendidos atualmente no país. O novo modelo apresenta um design moderno e traz uma central multimídia daquelas de chamar a atenção e que ficaria bem até em veículos de segmentos superiores.

Fiat Argo 1.8 Precision (19)

Extremamente ousado, com rodas maiores e detalhes em cor vermelha na carroceria, o modelo HGT, mais divulgado entre as versões, pode parecer chamativo demais para alguns perfis de consumidores mais conservadores. Nesse cenário, o Fiat Argo 1.8 versão Precision surge como uma opção mais discreta, tão ágil quanto a versão HGT, o mesmo motor 1.8 de até 139 cv e pouquíssimas diferenças ante a versão esportiva, entre elas o quadro de instrumentos com tela LCD de 7″, rodas de liga-leve de 16″ e R$ 2.800 a menos na tabela de preços.

Fiat Argo 1.8 Precision (54)No Argo Precision, cujo preço de partida é de R$ 61.800, as molas, amortecedores e a barra estabilizadora frontal também possuem calibração distinta da versão esportiva. Porém, basta uma volta na variante mais conservadora para perceber que as diferenças no dia a dia são quase imperceptíveis. Essa variável fica ainda mais discreta se o Precision estiver equipado com as rodas de liga-leve de 16″, opcionais nesta versão.

A direção conta com assistência elétrica e traz o “peso” ideal para o volante, tornando menos cansativas as manobras na cidade e mais responsivo em estradas sinuosas. O tempo de resposta é ligeiramente mais rápido do que os rivais do segmento, ao mesmo tempo em que a direção carrega dose exata da esportividade esperada para qualquer automóvel. O freio sensível, por sua vez, supera os demais modelos da marca. A suspensão não tem nenhum segredo, seguindo o layout McPherson na dianteira e eixo de torção na traseira, mas conta com alguns refinamentos como a barra estabilizadora para as rodas da frente.

Considerado uma versão de topo com pegada sóbria, o Argo Precision 1.8 tem motor e.TorQ 1.8 usado no Jeep Renegade e na Fiat Toro, com 135 cv usando gasolina ou 139 cv com etanol, ambos a 5.750 rpm, e 18,8 mkgf com gasolina e 19,9 mkgf com etanol, ambos a 3.750 rpm. O câmbio manual também usa cinco marchas, e a alternativa a ele é o câmbio automático de seis marchas, também oferecido na picape Toro e no Jeep Renegade, opção que que seus rivais diretos também adotam e que acresce R$ 6 mil ao valor de saída.

Na busca pela eficiência, a adoção do start-stop em todas as versões do Argo fez muito bem ao modelo. Na versão Precision automática, a testada pelo Torque Máximo, o Argo registra parciais de 10,1 km/l na cidade e 13,2 km/l na estrada, ambas com gasolina. Com esses números, o Argo Precision chega a ser até mais econômico que o Hyundai HB20 automático, que também conta com transmissão de seis marchas. De acordo com dados da Fiat, o Argo 1.8 automático vai de 0 a 100 km/h em 10,4 segundos e pode atingir 191 km/h de velocidade máxima, considerando o uso de etanol.Fiat Argo 1.8 Precision (22)

O Argo Precision, cujo espaço interno traseiro deixa um pouco a desejar na altura do teto e no vão entre os bancos, vem de série com ar-condicionado, banco do motorista com regulagem de altura, banco traseiro rebatível, chave canivete com telecomando para aberturas das portas, vidros e porta-malas, apoios de cabeça e cintos de três pontos para todos os ocupantes, direção elétrica progressiva, desembaçado do vidro traseiro, Isofix, iluminação do porta-malas, limpador do vidro traseiro, sistema star-stop, travas elétricas, vidros elétricos , volante com regulagem de altura, computador de bordo.

Na pista, a sensação que se tem é que custo-benefício é favorável, considerando que, dentro do segmento, só no Argo Precision é possível encontrar um hatch com essa transmissão oferecendo os controles de estabilidade e tração, além do star-stop. Embora tenha sido considerado por alguns especialistas como um veículo caro para seu segmento, o modelo oferece bom nível de segurança ativa e passiva, é econômico e eficiente, agradável de dirigir e conta com um patamar elevado de acabamento e opcionais.

É, portanto, uma alternativa atraente a quem busca um modelo prazeroso de dirigir e espaçoso, capaz de brigar pau a pau nesses quesitos, respectivamente, com os rivais Chevrolet Onix 1.4 LTZ e Hyundai HB20 1.6 Automático.

 

Compartilhar:

Deixar um Comentário